segunda-feira, 5 de abril de 2010

Belazarte me contou:

A vida não é feliz. Não é e ponto. A felicidade sempre me pareceu distante e absurda, o que a longo prazo me tornou alguém obsecada pela infelicidade. Certa vez cheguei a comprar um livro só porque todos os contos acabavam com a frase "Fulano foi muito infeliz". Eu fui muito feliz com aquelas histórias. A infelicidade deles me era tão palpável, e aquilo me parecia a vida real, não aquelas chatices de "foram felizes para sempre".

Da metade para o final do livro as histórias não terminaram mais assim - todos superavam seus problemas e voltavam a ficar bem. O que me causou uma enorme frustração. Quando os personagens daquele livro de contos voltaram a seguir suas vidas - nem felizes nem infelizes, somente bem - senti um enorme aperto no peito.
Alí sim havia realidade, da metade para o final do livro.

3 comentários:

  1. foi ai que percebesse que nada é tão feliz e infeliz, as coisas apenas são e pronto!

    ResponderExcluir
  2. Engraçado
    eu gosto dessa palavra FELICIDADE
    ela é leve
    bonita
    tranquila
    é pura felicidade.
    Nunca procurei a FELICIDADE
    ela sempre esteve junto a mim
    no maior silêncio...
    Felicidade não me deixa em paz
    é um grude na minha vida.

    ResponderExcluir