segunda-feira, 21 de setembro de 2009

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Certos amores não se esgotam. Perduram com o tempo e às vezes continuam a inflar sem que percebamos. Mesmo diante das brigas e dos atropelos, eles vão seguindo mudos, tecendo seus fios (e quando reaparecem soam tão inabalados). Os amores mais frágeis se desgastam - não cabe a eles o verdadeiro sentido do amor. Uma faísca e...!

Certos amores persistem, mas só borbulham de quando em quando dentro da gente.